Escalas Musicais: O Estudo dos Principais Tipos de Escalas na Música

Se você ainda não conhece as escalas musicais ou precisa estudar ainda mais, aperfeiçoando seu conhecimento e suas técnicas, acabou de encontrar um estudo completo sobre o assunto. Com certeza essa parte da teoria musical é mais próxima da prática no desenvolvimento musical.

Você será um ótimo músico, quando aprender a formação das escalas.

Você será um ótimo músico, quando souber aplicar o estudo das escalas nas músicas e canções que for tocar.

Você será um ótimo músico, quando unir o aprendizado das escalas musicais e a formação de acordes.

Não existe outra forma de aprender sobre intervalos musicais, campo harmônico, harmonia funcional, composição, estruturação de acordes sem passar primeiro pelas escalas musicais.

>> DEDILHADO DE ESCALAS PARA TECLADISTAS <<

Além de falar das escalas básicas e essenciais para o músico, vamos conhecer outras escalas também importantes, mas menos utilizadas por músicos atualmente.

Primeiro, quero pedir a você para não se preocupar agora com a aplicação no seu instrumento musical.

→ Isso porque a escala musical do teclado é a mesma escala do violão, do baixo, da guitarra

O que vai mudar de um instrumento para o outro é o dedilhado.

O estudo das escalas musicais é amplo e importante para o músico.

A partir do entendimento e a aplicação do assunto você vai compreender melhor a formação de acordes, arpejos, intervalos musicais e formação de campo harmônico.

Vou deixar também no final deste artigo uma tabela para você baixar, onde você vai marcar a evolução dos estudos e dedilhados das escalas musicais para o seu instrumento.

Você também vai ver dicas de como executar um estudo de escala musical através dos dedilhados e acompanhamento com metrônomo.

Mais detalhes sobre harmonia musical

Se prepare para se tornar um músico ainda mais completo.

O que são as Escalas Musicais?

Em primeiro lugar, devemos basear nossa linha de raciocínio uma sequência de notas dentro de uma oitava apenas. É isso que é uma escala musical, uma sequência de 7 notas com um intervalo padrão conhecido.

→ Isso significa, que existe uma sequência lógica de notas musicais onde há um início no nosso caso, considerando uma oitava apenas , existe um fim.

Por exemplo, a escala de dó maior começa na nota dó e termina uma oitava depois em dó novamente.

Essa sequência abrange 7 notas musicais e essa notas são separadas entre si por uma distância e essa distância é que chamamos de intervalos musicais.

Uma escala musical possui uma distância entre uma nota e outra conhecida, através de uma fórmula.

Cada tipo de escala musical possui uma fórmula diferente que produz uma sonoridade diferente.

Entendendo o conceito de intervalo para o estudo de escalas musicais

Conceito de Intervalo em Teoria Musical

O conceito de intervalos precisa bem claro para que você possa entender e aplicar corretamente o estudo de qualquer uma das escalas musicais. Intervalo representa distância entre notas como também representa uma classificação com o nome desse intervalo.

→ Primeiro quero que você entenda que a função do intervalo na música está em dizer para você algo em relação a distância de uma nota para outra.

Da mesma forma que medimos a distância entre dois objetos ou lugares em metros por exemplo, sabemos o nome e quão distante está uma notra da outra através dos intervalos.

Isso é bem simples de perceber principalmente nas escalas diatônica, pois possuem uma distância mais conservadora e popularmente conhecida como Tom e Semitom.

Fique tranquilo, vou explicar melhor!

Entre uma nota e outra existe uma distância e ela é medida em Tom e Semitom.

→ Quando a distância entre duas notas for de Tom é porque existem duas notas de distância entre uma e outra.

Na prática, fica assim: A distância entre o Dó e o Ré é de 1 Tom. A distância entre o Dó e o Dó sustenido é de 1 Semitom (também conhecido como meio tom).

Podemos dizer também que a distância entre Ré e o Fá é de 1 Tom e meio e entre o Sol e o Si é de 2 Tons.

Agora você está apto a conhecer os principais tipos de escalas musicais que existem.

Os tipos de Escalas Musicais que existem

Dos tipos de escalas musicais existentes vamos nos preocupar agora primeiro em aprender as que são essenciais no início do aprendizado.

Por isso vamos separar essas escalas musicais em grupos, onde você vai conhecer as escalas diatônicas e muitas outras.

→ Você vai aprender sobre as escalas maiores naturais, a escala menor natural, menor harmônica, menor melódica, pentatônica, cromática e algumas outras como a de Blues, por exemplo.

Vamos começar a conhecer esse mundo de possibilidades e conhecimento de teoria musical e a primeira família de escalas musicais é a diatônica.

O que é a Escala Diatônica?

Escalas diatônicas

A escala diatônica é uma escala bem conhecida e utilizada na música ocidental e possui em sua estrutura intervalos de 5 tons e 2 semitons. Além disso, possui 7 notas musicais que se repetem a cada oitava.

→ As escalas musicais que conhecemos hoje fazem parte da família das escalas diatônicas.

É o caso das escalas maiores e menores por exemplo.

Dentre elas estão:

  • Escalas maiores;
  • Escalas menores;
  • Modos gregos;
  • Escalas menores harmônicas;
  • Escalas menores melódicas.

Aqui abaixo você pode conhecer mais sobre cada escala musical que faz parte das escalas diatônicas.

Você vai conhecer quais são as escalas que existem para cada um dos tipos de escalas diatônicas.

Além das escalas maiores e menores naturais, existem as variações da escala menor.

Essas variações são as escalas menores harmônicas e melódicas.

Escala maior natural

Tabela das escalas maiores naturais

Chegamos na escala mais simples da família de escalas musicais de 7 notas, a escala maior natural é, normalmente a primeira escala ensinada pelos professores nos cursos de música.

A escala maior natural possui uma estrutura básica de 5 tons e 2 semitons distribuídos da seguintes forma: T, T, ST, T, T, T, ST.

A base do campo harmônico maior é fundamentada na estrutura e formação das escalas maiores naturais.

Deixei também a tabela com as notas de todas as 12 escalas maiores.

Escala menor natural

Tabela das escalas menores naturais

Agora que você já ouviu falar ou conheceu melhor a escala maior saberá formar a escala menor natural com facilidade.

Isso acontece porque a escala menor natural é a relativa menor da escala maior.

Basicamente, para montar esta escala, basta iniciar a contagem da 6ª nota da escala maior. Assim, as 12 escalas menores naturais comecem a ser formadas a partir do sexto grau.

Depois disso basta seguir a sequência dos intervalos da escala menor natural: T, ST, T, T, ST, T, T.

Lembrando que essa escala musical possui também a estrutura de 5 Tons mais 2 Semitons como pode ser visto na fórmula acima.

Leia mais sobre essas escalas aqui:

Escala menor harmônica

Tabela das escalas menores harmônicas

A escala menor harmônica possui uma diferença da escala menor natural, o intervalo entre o 6º e 7º grau é aumentado em 1 Semitom.

A diferença pode parecer pequena, mas a sonoridade é bem diferente.

Isso acontece porque o 7º grau acaba se tornando maior. Um exemplo prático disso é tocar o E7 e depois o Am.

Essa é forma de colocar um acorde neste campo harmônico que tenha a função dominante.

Este tipo de preparação não existe na escala menor natural, mas existe na escala menor harmônica.

Formação da escala menor harmônica: T – ST – T – T – ST – (T+ST) – ST.

Escala menor melódica

Tabela das escalas menores melódicas

Já na escala menor melódica é acrescentado um sustenido no sexto grau, falando de forma simples, retirando o peso da sonoridade oriental que a menor harmônica possui.

Outro detalhe importante é que o acorde de função dominante continua nessa escala.

A formação da escala menor melódica fica assim: T – ST – T – T – T – T – T – ST.

Lembrando que essas duas variações da escala natural são a base da formação dos campos harmônicos menores.

Modos Gregos

Os modos gregos das escalas musicais

Os modos gregos são 7 formas e modelos diferentes da escala maior natural. Vou além, você só vai dominar os modos gregos e a técnica para um bom improviso quando conhecer muito bem as 12 escalas maiores.

Imagine você ter que decorar todas as 84 escalas dos modos gregos? Será muito difícil você soar natural num processo mecânico de aprendizado.

Por isso, você deve pensar nos modos gregos sempre com a escala maior natural em mente.

Vamos aprender sobre os tipos de modos gregos para depois eu reafirmar minha teoria de aprendizado e aplicação dessas escalas.

Quais são os modos gregos?

A importância de estudar as escalas musicais vai muito além do que você pode imaginar. Sempre disse isso a meus alunos: Estudar as escalas musicais é o princípio de tudo para qualquer instrumento musical, é o Gênesis do músico e com os modos gregos não é diferente.

Conheço muitos músicos, principalmente tecladistas que desconhecem a forma correta de tocar as escalas no diz respeito ao dedilhado e ao uso de metrônomo.

Um dos principais erros é não saber iniciar certas escalas com o dedo 2 ao invés do polegar, mas isso é assunto para outro post.

Se você ainda não conhece as escalas maiores naturais não entre em modos gregos ainda.

Agora se você já possui certo conhecimento vamos em frente. Conheça todos os modos gregos:

  • 1º Jônio (o Jônio é a própria escala maior)
  • 2º Dórico
  • 3º Frígio
  • 4º Lídio
  • 5º Mixolídio
  • 6º Eólio (o Eólio é a escala menor primitiva)
  • 7º Lócrio

Qual é o principal raciocínio para aprender os modos gregos de uma vez?

Existe uma forma única de pensar para que você saiba como é uma escala num modo grego diferente do modo Jônio que é a própria escala maior natural de um tom qualquer.

Vamos entender melhor essa questão agora.

Modo Jônio

As escalas no modo Jônio são as escalas comuns da escala natural. Ou seja, Dó Jônio é a própria escala de Dó maior natural.

Modo Dórico

O segundo modo da lista é o dórico, pense comigo, se você quer tocar a escala de Ré no modo Dórico precisa pensar o seguinte: o Ré é a segunda de qual nota? Segunda de Dó.

Sabendo disso, o Ré dórico tem as mesmas notas da escala de Dó só que a Tônica começa no Ré.

É a escala de Ré sendo tocada com todas as notas naturais.

Modo Frígio

Mais um exercício mental para você identificar uma escala musical no modo frígio. Como é a escala de Sol no modo Frígio?

O Modo Frígio da escala de Sol é o terceiro grau de quem? De Eb. Então você deve tocar a escala de Eb começando e terminando na nota Sol.

Esta é a escala que a gente acabou de estudar:

Sol – Láb – Sib – Dó – Ré – Mib – Fá – Sol

Modo Lídio

No modo lídio pense: a escala de que eu quero montar é o quarto grau de quem?

Leve sempre em consideração que você está caminhando na escala maior natural.

Modo Mixolídio

No modo mixolídio a escala a ser identificada terá as notas de quem ela for a quinta. Siga o mesmo raciocínio dos exemplos anteriores.

Escala de Sol no modo grego mixolídio: Sol é a quinta de Dó, portanto você deve tocar a escala de Dó começando e terminando pela nota Sol.

Modo Eólio

Uma escala no Modo Eólio terá a mesma estrutura, formação e notas da escala menor natural.

No caso da escala de Fá no Modo Eólio as notas serão as mesmas da Escala de Ab começando e terminando na nota Fá.

Ou seja, na prática você vai estar tocando o Fá menor.

Modo Lócrio

Mantemos nossa linha de pensamento neste 7º e último modo grego, o Modo Lócrio.

O conceito é o mesmo. Experimente montar a escala de Bb no Modo Lócrio, deixe nos comentários como ficou a formação desta escala.

Escalas Musicais Enarmônicas e Homônimas

Não custa nada aprender mais sobre as escalas musicais e teoria musical não é mesmo? Você sabia que existe uma classificação específica para escalas que possuem as mesmas notas musicais mas com nomes diferentes?

Existem também escalas que começam a ser tocadas na mesma tônica que outra escala similar e que possuem estrutura e armadura diferentes.

Vamos conhecer rapidamente um pouco mais sobre isso.

Escalas musicais enarmônicas

As escalas enarmônicas são escalas que possuem a mesma sonoridade mas com o nome das notas diferentes.

Quando você tocar duas notas enarmônicas, verá que está tocando a mesma nota.

O detalhe está no nome da nota. Um exemplo prático de uma escala enarmônica é a escala de C# com a escala de Db.

A sonoridade é a mesma, mas o nome das notas são diferentes.

Escalas musicais homônimas

Já as escalas homônimas, possuem a mesma tônica. Podemos dizer que são duas escalas que iniciam pela mesma nota.

O detalhe é que os modos devem ser diferentes.

Por exemplo, a escala de C e a escala de Cm são homônimas. Possuem a mesma tônica mas com armadura e estrutura diferentes.

Post com detalhes aprender violão

Conclusão

Espero que este estudo sobre as escalas musicais esteja te ajudando.

Não se preocupe, você tem muitas escalas musicais para estudar.

Antes de terminar vou deixar um arquivo para você baixar e acompanhar seu desenvolvimento no estudo das escalas musicais.

TABELA DE ACOMPANHAMENTO

e

TABELA DE ACOMPANHAMENTO DO ESTUDO DE ESCALAS

Assim, você poderá aprofundar seus estudos sobre as escalas musicais focando na prática mas nunca deixando de lado os fundamentos da teoria musical.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!